Blog

Economia parada deixa brasileiro refém das dívidas

Em abril de 2019, 63,2 milhões de brasileiros estavam com dívidas atrasadas, de acordo com as informações divulgadas pela Serasa Experian, empresa especializada em dados financeiros e de crédito. É o maior número de inadimplentes desde o início da série iniciada em março de 2016.

“Começamos a observar uma mudança de tendência da trajetória da inadimplência”, afirma o economista Flávio Calife, da Boa Vista, que prevê um aumento do número de pessoas com dívidas por causa da situação da economia do país.

Texto escrito com base nas informações da matéria publicada no Estadão. /// Imagem: autoria desconhecida. /// Montagem, edição e texto: EPG Consultoria ///

*Proibido a cópia, total ou parcial, do conteúdo sem o consentimento prévio e expresso do autor.

Empresa inadimplente pode retornar para o Simples Nacional

Os microempreendedores individuais (MEI), as microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP) que foram excluídos do Simples Nacional em janeiro de 2018 por inadimplência poderão fazer nova opção pelo regime tributário, desde que aderissem ao Programa Especial de Regularização Tributária  das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte optantes pelo Simples Nacional (PertSN).

Caso se interesse, a empresa tem 30 (trinta) dias contados da data de publicação da Lei Complementar N° 168, publicada na edição do dia 13 de junho de 2019 do Diário Oficial da União, para solicitar o retorno ao Simples Nacional, com efeitos retroativos a 1º de janeiro de 2018, desde que não incorram nas vedações previstas na Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006.

Texto escrito com base nas informações da matéria publicada no site do Senado Federal. /// Imagem: autoria desconhecida. /// Montagem, edição e texto: EPG Consultoria /// *Proibido a cópia, total ou parcial, do conteúdo sem o consentimento prévio e expresso do autor.

Em 4 meses, pequenos negócios criaram quase 300 mil empregos

Levantamento feito pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), baseado nos dados do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), aponta que os pequenos negócios abriram quase 300 mil novos postos de trabalho de janeiro a abril de 2019, enquanto que as médias e grandes empresas geraram apenas 20,3 mil vagas durante o mesmo período.

“Os números mostram que o empreendedorismo está no sangue do povo brasileiro. Os pequenos negócios foram os grandes responsáveis pelo grande número de vagas no mercado de trabalho. E isso mesmo em tempos difíceis economicamente”, analisa Carlos Melles, presidente do Sebrae.

Texto escrito com base nas informações da matéria publicada no site do Sebrae. /// Imagem: Jana Pessôa (Setas-MT). /// Montagem, edição e texto: EPG Consultoria.

*Proibido a cópia, total ou parcial, do conteúdo sem o consentimento prévio e expresso do autor.

#emprego #novoemprego #economia #consultoria #consultoriaempresarial #gestãoempresarial #gestão #gestãopme #consultoriapme