Blog

Facebook também estuda sumir com a contagem de likes em postagens

A pesquisadora digital Jane Manchun Wong ficou famosa neste ano por ter sido a primeira a adiantar que o Instagram iria acabar com o contador público de likes, causando frisson na comunidade da rede social, que se utilizava do número de likes para vender produtos, contratar influenciadores e escolher quais marcas e pessoas irão exibir produtos. Ao que tudo indica, o próximo a seguir estes passos é o Facebook, “rede social mãe” do Instagram que, segundo Wong, deixará de exibir o número de likes em sua próxima atualização.

A pesquisadora explicou como chegou a sua descoberta através de um post em seu blog pessoal, onde disse ter usado de engenharia reversa na última versão do aplicativo do beta Facebook para Android e descobriu uma linha de código que indicava o fim da função de contagem de likes. Ela explica que o novo sistema funcionará exatamente como no Instagram. Será aberto para todos quem curtiu as postagens, mas fica restrito apenas ao ator do post a contagem total de pessoas que curtiram (e no caso do Facebook, reagiram) a publicação.

*Trechos da matéria publicada no “Isto É Dinheiro”.

**Foto: autoria desconhecida.

‘Crise da Amazônia provocou exigência de temas ESG por empresas’, diz presidente do IBGC

A governança corporativa virou uma realidade para as companhias brasileiras e dificilmente haverá retrocesso em relação aos avanços alcançados nos últimos anos. O presidente do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), Henrique Luz, com carreira de mais de 40 anos na consultoria PwC, diz ainda que a crise na Amazônia provou que investidores estão a cada dia mais exigentes em relação a práticas “ESG” – sociais, ambientais e de governança, letras advindas das palavras em inglês.

“Acredito que esse é um movimento irreversível, não só no Brasil mas em todo o mundo”, disse, em entrevista ao Estadão/Broadcast. Luz lembra que a base de acionistas das companhias é, a cada dia, maior, o que acaba elevando a pressão para que boas práticas de governança continuem sendo adotadas. Neste ano o IBGC, por exemplo, registrou recorde de público em seu congresso anual, com mais de 800 participantes.

O presidente da entidade nota, ainda, que no passado o ativismo do investidor era mais focado na obtenção de direitos políticos dentro das companhias, como maior presença nos conselhos de administração, mas que hoje em dia os holofotes estão mais voltados para as causas ESG. “Atualmente uma empresa que adota boas práticas de governança certamente tem que ter o olhar social, de governança e ambiental”, comenta.

*Trechos da matéria publicada no “Estadão”.

**Foto: Ricardo Moraes/ Reuters.

Venda de produtos brasileiros para a Argentina cai 40,4% em agosto

O Ministério da Economia informou nesta segunda-feira (2) que as exportações brasileiras para a Argentina caíram 40,42% em agosto deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado. Ao todo, segundo o governo, o Brasil exportou em agosto o equivalente a US$ 793 milhões. No mesmo período de 2018, as exportações somaram US$ 1,33 bilhão.

A Argentina é um dos maiores parceiros econômicos do Brasil. Segundo o Ministério das Relações Exteriores, o país é o terceiro principal destino das exportações brasileiras.

*Trechos da matéria publicada no “G1”.

**Foto: Agência Brasil.