Uber demite centenas de pessoas das áreas de engenharia e produtos

A vida não está fácil para o Uber. O aplicativo de transporte anunciou centenas de demissões nesta terça-feira, 10, nas áreas de engenharia e produtos, de acordo com o site TechCrunch. Ao todo, 435 pessoas foram demitidas, o que representa 8% de cada departamento. É a segunda onda de demissões nos últimos meses: em julho, a empresa demitiu 400 pessoas da sua equipe de marketing em vários escritórios ao redor do mundo.

O Uber disse que as demissões fazem parte de um projeto de “redefinir e melhorar o trabalho do dia a dia”. Em comunicado, a empresa disse: “Hoje, estamos fazendo algumas mudanças para colocar a companhia de volta aos trilhos, o que inclui a redução do tamanho de algumas equipes para garantir que tenhamos uma equipe apropriada de acordo com nossas principais prioridades”. 

Nos últimos meses, a empresa vem registrando grandes prejuízos. No seu balanço do segundo trimestre, o Uber registrou uma perda de US$ 5,2 bilhões e teve receita de US$ 3,2 bilhões, abaixo das expectativas dos analistas. O resultado do segundo trimestre mais do que quintuplicou as perdas de US$ 878 milhões que a companhia registrou no mesmo período do ano passado.

*Trechos da matéria publicada no “Estadão”.

**Foto: AFP.

EuVô, aplicativo de transporte para idosos, começa a operar em São Paulo

A startup EuVô, aplicativo de transporte e acompanhamento voltado para a terceira idade, ganhou na semana passada o aval da Prefeitura de São Paulo para atuar na capital paulista. Desde 2017, quando a empresa foi fundada pela dupla de irmãos Gabriel e Victória Barboza, a empresa operava apenas na cidade de São Carlos, no interior do Estado.

Pela EuVô, o motorista ajuda no transporte do idoso em atividades diárias e também serve de acompanhante – diferencial da empresa em relação a outros aplicativos de transporte. Para agendar a corrida, o pedido deve ser feito no mínimo três horas antes via aplicativo, site, Whatsapp ou telefone.

*Trechos da matéria publicada no “Estadão”.

**Foto: reprodução.

Uber ainda levará anos até se tornar lucrativa, afirma executivo

Apesar de ser o aplicativo de transporte mais popular do mundo, a Uber não gera lucro. Em maio, a companhia divulgou um prejuízo de US$ 1 bilhão no primeiro trimestre de 2019, e a situação não deve mudar em breve, segundo o seu diretor de tecnologia, Thuan Pham.

Em um evento na manhã desta última terça (9) em Hong Kong, o executivo afirmou que a empresa ainda levará “alguns anos” para se tornar rentável. Pham apontou o alto nível de competitividade do setor de transportes e o baixo retorno que a Uber recebe das transações como principais motivos para as contas não saírem do vermelho.

Mas Uber já tem um plano para reverter o quadro. De acordo com o executivo, a companhia irá focar seus esforços no desenvolvimento de carros autônomos, apresentados como a grande virada para o mercado dos transportes para o próximo ano. Em abril, a Uber recebeu US$ 1 bilhão em uma rodada de negociações para expandir as pesquisas e projetos no segmento.

“Quando essa tecnologia funcionar o seu preço irá cair significativamente, então o mercado irá se expandir muito mais rápido. E nós temos um esforço ativo nesta tecnologia”, disse ele. Até lá, a companhia busca expandir sua atuação para outros nichos de transporte, como a Uber Eats e o mais recente Uber Bus, lançado no México e no Egito no ano passado.

*Trechos da matéria publicada no portal “Isto É Dinheiro”. Clique aqui e leia a notícia completa.