Jornal DCI anuncia que encerrará as atividades no impresso e no digital

O DCI (Diário Comércio Indústria & Serviços), jornal de economia fundado em 1934, anunciou que encerrará todas as suas atividades no país. A última edição irá circular na próxima segunda-feira (23) e o site do jornal também será encerrado.

O jornal pertence ao grupo SolPanamby, da família Quércia, que também é dono de rádios como a Nova Brasil FM, além de negócios imobiliários e no ramo de café. A empresa adquiriu o DCI em 2002.

“Apesar de todo o esforço e dedicação, a longeva crise econômica do país, acompanhada da atual conjuntura do cenário regulatório, além da própria mudança da sociedade na maneira de consumir informação, levou seus acionistas a decidirem pelo seu encerramento, sendo sua última edição em 23/09/2019”, informou a empresa, em comunicado.

*Trechos da matéria publicada no “G1”.

**Foto: divulgação.

Brasil é um dos países que menos cobram impostos sobre renda no mundo

Quem recebe altos salários no Brasil paga, em média, 32% menos impostos do que pessoas de alta renda em países que compõem o G-7 (grupo das nações mais industrializados do mundo, composto por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido) e 31% menos que a média de pessoas nas mesmas condições na União Europeia. Os dados são da UHY International, rede de empresas de auditoria e contabilidade que fez um estudo com 30 países, comparando os impostos aplicados a faixas salariais anuais de US$ 250 mil e US$ 1,5 milhão.

O país teve a quarta menor carga tributária para pessoas das duas rendas anuais estudadas, ficando atrás, inclusive, dos vizinhos Uruguai e Argentina e da média do Brics, grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul . Isso acontece porque, aqui, a faixa mais alta do Imposto de Renda tem alíquota de 27,5% e aplica-se a quem ganha a partir de R$ 4.664,68 mensais, não havendo progressão da taxa para salários mais altos como acontece em outras nações.

*Trechos da matéria publicada no “Estadão”.

**Foto: Marcello Casal Jur/Agência Brasil.

Porcentual de famílias com dívidas sobe a 64,8% em agosto, revela CNC

O porcentual de famílias brasileiras com dívidas alcançou 64,8% em agosto, alta de 0,7 ponto porcentual em relação aos 64,1% de julho, conforme dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada nesta sexta-feira, 13, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Foi a oitava alta mensal consecutiva. Segundo a CNC, o porcentual de endividamento atingiu o maior nível desde julho de 2013.

Em nota, a economista da CNC Marianne Hanson destaca que, apesar do aumento da inadimplência em agosto, a alta foi menor do que o aumento observado no endividamento.“Isso demonstra que a redução das taxas de juros ainda tem permitido, à maior parte das famílias, acomodar as dívidas no seu orçamento e pagar as contas em dia”, diz a nota da CNC.

*Trechos da matéria publicada no “Isto É Dinheiro”.

**Foto: autoria desconhecida.