Após canil ser fechado por maus-tratos, rede Petz anuncia que vai deixar de vender filhotes

*Título e conteúdo retirado da matéria publicada no site G1 Sorocaba e Jundiaí. Foto no destaque: divulgação / Petz.

A rede de pet shop Petz anunciou nesta quarta-feira (20) que não vai mais vender filhotes em suas 82 lojas espalhadas pelo país. A decisão foi tomada após o fechamento do canil Céu Azul, em Piedade (SP), por suspeita de maus-tratos.

O canil, que abrigava mais de 1.700 animais de raça – centenas deles em más condições de saúde -, tinha entre seus clientes a rede de lojas. A denúncia de maus-tratos no canil foi confirmada pela Polícia Ambiental e ONGs que estiveram no local.

“O grupo Petz decidiu não vender mais filhotes em suas 82 lojas em todo o país. A partir de agora, a rede de pet shops só terá cães e gatos para adoção em parceria com ONGs do projeto Adote Petz”, diz a nota da assessoria de imprensa.

Segundo a rede, o espaço que antes tinha filhotes de raça será destinado a ONGs e protetores para promover eventos de adoção.

Clique aqui e leia a matéria completa.


 

Comentário

Algumas horas após a divulgação da matéria sobre o canil, em Piedade, Sergio Zimerman, presidente da Petz, declarou, no perfil oficial da rede de lojas no Instagram, que “gostaria de compartilhar toda indignação com as cenas horríveis, chocantes”, além de reafirmar que a empresa possui “todo um processo de homologação e fiscalização de criadores”. Apesar de confirmar a existência de um processo que proteja os animais, Zimerman revelou que “alguma coisa deu errado e que alguma coisa falhou”.

“Nós somos apaixonados por pets”. Essa frase é apresentada como um dos valores da empresa Petz. Apesar da resposta rápida, muitos brasileiros devem ter se questionado se realmente a marca é aquilo que ela vende.

Infelizmente, é muito comum os empreendedores deixarem de lado a missão, visão e os valores das suas respectivas empresas. Quando na verdade, todo o planejamento e as ações devem estar vinculados aos princípios e objetivos. Claro, conforme um determinado período, esses objetivos e valores devem ser revistos e, se necessário, alterados.

Marcelo Nieves Ribeiro

 

Propaganda de marca de cosméticos usa lama em homenagem a MG e é criticada

*Título e conteúdo retirado da matéria publicada no site do Correio Braziliense. Foto no destaque: reprodução do conteúdo disponibilizado no Facebook.

Uma empresa de cosméticos vem gerando polêmica na internet. Depois do rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), a empresa Jendayi Cosméticos lançou um ensaio-protesto sobre a tragédia. No ensaio, os modelos se cobriram de lama para interpretar as vítimas do desastre na cidade mineira, o que não foi visto com bons olhos pelos internautas.

“O objetivo desta campanha é mostrar que existe uma marca de cosméticos que se preocupa com a beleza… a beleza da vida. Nossos cosméticos embelezam os cabelos, mas nossas atitudes podem deixar um sorriso, um olhar, uma família, um sonho… mais iluminado e bonito. Nossa empresa está nesta luta”, diz um dos trechos da postagem na página do Facebook.

Já no Instagram, no stories, a empresa postou os bastidores do ensaio. Porém, depois dos comentários e da repercussão negativa, a empresa excluiu o perfil nessa rede social.

Clique aqui e leia a matéria completa.


Comentário

Toda empresa, independente da área de atuação ou do porte, deve pensar (e repensar) cuidadosamente as suas ações de marketing para que não vire uma propaganda negativa, como aconteceu com a Jendayi Cosméticos que fez um “ensaio-protesto” da tragédia de Brumadinho (MG).

Nesse caso, de acordo com a própria empresa, eles fotografaram modelos sujos de lama para “incentivar a todos a não desistirem desta luta”. Após ter percebido a reação negativa dos internautas, a empresa optou por fazer uma nota de esclarecimento, publicada em uma rede social, dizendo que o intuito era ajudar as vítimas de Brumadinho. No entanto, essa publicação não atingiu o efeito desejado. Por fim, em outro comunicado, a empresa pediu desculpas para as pessoas pela campanha mal elaborada. Apesar de admitir o erro, a repercussão negativa feriu a marca.

Por isso, é de extrema importância que as empresas não caiam na armadilha de economizar atenção, tempo e recursos para o planejamento e execução de ações de comunicação e marketing.

Marcelo Nieves Ribeiro

Vídeo comercial da EPG Consultoria

Vídeo comercial da EPG Consultoria, empresa especializada em gestão empresarial, localizada em São Paulo.

Mais informações em: http://www.epgconsultoria.com

Imagens: divulgação da candidatura da cidade de São Paulo para o EXPO 2020 (disponível na internet).

Edição, montagem e texto: Marcelo Ribeiro, editor executivo da EPG Consultoria.

Música: Sleepy Jake

*Proibido a cópia total ou parcial sem o consentimento da EPG Consultoria.