Com R$65,5 bi em dívidas, Odebrecht pede uma das maiores recuperações judiciais do Brasil

Foto: Aluisio Alves

Cerca de três anos após ter sido atingida pelos efeitos de uma profunda recessão no Brasil e das investigações da operação Lava Jato, a Odebrecht formalizou ontem (17) seu pedido de recuperação judicial, com dívidas de 65,5 bilhões de reais, um dos maiores processos do tipo na história no país.

Em comunicado, a companhia informou que o processo envolve 51 bilhões de reais de dívidas concursais, ou seja, passíveis de reestruturação. Outros 14,5 bilhões de reais são compostos sobretudo por dívidas lastreadas em ações da Braskem e não passíveis de reestruturação. O montante também exclui dívidas cruzadas entre as unidades do grupo, de cerca de 30 bilhões. O processo envolve as controladoras da Odebrecht, Kiepe e Odbinv.

No documento apresentado à Justiça, ao qual a Reuters teve acesso, a Odebrecht afirma que a soma de todos esses valores chega 98,5 bilhões de reais.

Trecho retirado da matéria publicada no site UOL. Clique aqui e leia o conteúdo completo.

#Odebrecht #recuperaçãojudicial #economia #dívida

Economia parada deixa brasileiro refém das dívidas

Em abril de 2019, 63,2 milhões de brasileiros estavam com dívidas atrasadas, de acordo com as informações divulgadas pela Serasa Experian, empresa especializada em dados financeiros e de crédito. É o maior número de inadimplentes desde o início da série iniciada em março de 2016.

“Começamos a observar uma mudança de tendência da trajetória da inadimplência”, afirma o economista Flávio Calife, da Boa Vista, que prevê um aumento do número de pessoas com dívidas por causa da situação da economia do país.

Texto escrito com base nas informações da matéria publicada no Estadão. /// Imagem: autoria desconhecida. /// Montagem, edição e texto: EPG Consultoria ///

*Proibido a cópia, total ou parcial, do conteúdo sem o consentimento prévio e expresso do autor.

Em 4 meses, pequenos negócios criaram quase 300 mil empregos

Levantamento feito pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), baseado nos dados do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), aponta que os pequenos negócios abriram quase 300 mil novos postos de trabalho de janeiro a abril de 2019, enquanto que as médias e grandes empresas geraram apenas 20,3 mil vagas durante o mesmo período.

“Os números mostram que o empreendedorismo está no sangue do povo brasileiro. Os pequenos negócios foram os grandes responsáveis pelo grande número de vagas no mercado de trabalho. E isso mesmo em tempos difíceis economicamente”, analisa Carlos Melles, presidente do Sebrae.

Texto escrito com base nas informações da matéria publicada no site do Sebrae. /// Imagem: Jana Pessôa (Setas-MT). /// Montagem, edição e texto: EPG Consultoria.

*Proibido a cópia, total ou parcial, do conteúdo sem o consentimento prévio e expresso do autor.

#emprego #novoemprego #economia #consultoria #consultoriaempresarial #gestãoempresarial #gestão #gestãopme #consultoriapme