Exportação ainda não foi afetada, mas luz está piscando, diz Abag

A imagem do Brasil, prejudicada pelas queimadas no Norte do País e por declarações de autoridades, ainda não causou cancelamento de contratos de exportação, “mas a luz vermelha está piscando”, disse nesta sexta-feira, 6, o presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Marcello Brito. “Não vi contrato cancelado em setor algum, as exportações continuam, mas a luz vermelha está piscando acelerado”, afirmou em evento na capital paulista. “Se providências não forem tomadas, se o rumo do discurso não for outro, se a retórica não for outra, as coisas podem piorar.”

Brito ressalvou, entretanto, desconfiar de anúncios feitos recentemente por empresas, de que pararam de comprar produtos brasileiros, como o couro. “É fácil usar momento de crise como marketing da empresa também. E isso já aconteceu várias vezes. Falar que parou de comprar o couro brasileiro, por exemplo. Será que parou mesmo?”, perguntou. “Se tem contêineres em navios hoje em direção à Europa ou aos Estados Unidos, você mandou o navio parar ou tirou o contêiner de cima dele,” indagou, ressaltando que ainda não viu contratos cancelados.

*Trechos da matéria publicada no “Isto É Dinheiro”.

**Foto: Bruno Kelly/Reuters.

H&M suspende compras de couro brasileiro

O grupo sueco H&M, segundo maior varejista de moda do mundo, disse que deixará de comprar couro brasileiro temporariamente, como respostas às queimadas na Amazônia, segundo comunicado feito pela empresa à agência Reuters nesta quinta-feira (5).

“Devido aos graves incêndios na parte brasileira da floresta amazônica e às conexões com a produção de gado, decidimos proibir temporariamente o couro do Brasil. A proibição permanecerá ativa até que existam sistemas de garantia críveis para verificar se o couro não contribui para danos ambientais na Amazônia”, disse a H&M.

Na semana passada, a VF, empresa dona de marcas como Timberland e Vans, já havia anunciado que também não usaria mais couro brasileiro na sua produção.

*Trechos da matéria publicada no “G1”.

**Foto: divulgação.

Venda de produtos brasileiros para a Argentina cai 40,4% em agosto

O Ministério da Economia informou nesta segunda-feira (2) que as exportações brasileiras para a Argentina caíram 40,42% em agosto deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado. Ao todo, segundo o governo, o Brasil exportou em agosto o equivalente a US$ 793 milhões. No mesmo período de 2018, as exportações somaram US$ 1,33 bilhão.

A Argentina é um dos maiores parceiros econômicos do Brasil. Segundo o Ministério das Relações Exteriores, o país é o terceiro principal destino das exportações brasileiras.

*Trechos da matéria publicada no “G1”.

**Foto: Agência Brasil.