Uber demite centenas de pessoas das áreas de engenharia e produtos

A vida não está fácil para o Uber. O aplicativo de transporte anunciou centenas de demissões nesta terça-feira, 10, nas áreas de engenharia e produtos, de acordo com o site TechCrunch. Ao todo, 435 pessoas foram demitidas, o que representa 8% de cada departamento. É a segunda onda de demissões nos últimos meses: em julho, a empresa demitiu 400 pessoas da sua equipe de marketing em vários escritórios ao redor do mundo.

O Uber disse que as demissões fazem parte de um projeto de “redefinir e melhorar o trabalho do dia a dia”. Em comunicado, a empresa disse: “Hoje, estamos fazendo algumas mudanças para colocar a companhia de volta aos trilhos, o que inclui a redução do tamanho de algumas equipes para garantir que tenhamos uma equipe apropriada de acordo com nossas principais prioridades”. 

Nos últimos meses, a empresa vem registrando grandes prejuízos. No seu balanço do segundo trimestre, o Uber registrou uma perda de US$ 5,2 bilhões e teve receita de US$ 3,2 bilhões, abaixo das expectativas dos analistas. O resultado do segundo trimestre mais do que quintuplicou as perdas de US$ 878 milhões que a companhia registrou no mesmo período do ano passado.

*Trechos da matéria publicada no “Estadão”.

**Foto: AFP.

Quinto Andar se torna novo unicórnio brasileiro após rodada de investimentos

A startup de aluguel de casas Quinto Andar se tornou nesta terça-feira (10) o oitavo unicórnio brasileiro, seleto grupo de startups que atingiram valor de mercado de US$ 1 bilhão. Aplicativo especializado em gerenciar aluguel de residências recebeu um novo aporte de US$ 250 milhões, nesta quarta rodada de investimentos, liderados pelos fundos Dragoneer, que já aplicou recursos monetários na Uber e no Nubank, e Softbank, célebre fundo japonês que também investiu no aplicativo de transporte além de Creditas, Rappi, Loggi e Gympass.

O app hoje está em plena expansão, com notícias recentes de que o Quinto Andar começaria a reformar apartamentos, e uma média de 4.500 contratos de aluguel fechados por mês, número cinco vezes maior do que em 2018. A empresa hoje está presente em 25 cidades brasileiras das regiões sudeste, sul, e centro-oeste, com o estado de São Paulo representando 30% de seus acordos. Com o aporte, a empresa agora mira expansão para dentro e fora do País, além de aumentar sua equipe de tecnologia para aumentar a gama de serviços oferecidos pela startup.

*Trechos da matéria publicada no “Isto É Dinheiro”.

**Foto: Andre Lessa / AE.

Após reestruturação e multas tributárias, Habib’s volta a crescer e reforça delivery

O Habib’s aposta na força do consumo de seus produtos na casa dos clientes para turbinar seu crescimento após uma fase em que teve de fechar lojas e enfrentou processos tributários milionários. A rede fechou o ano passado com 540 unidades – não muito mais do que em 2014, quando começou a atual crise econômica. Em 2019, porém, além de acelerar a abertura de lojas – com 20 novos Habib’s e 100 Ragazzo –, a empresa também está reformando boa parte de seus pontos de venda para melhorar o atendimento de delivery.

Essa estratégia tem razão de ser: hoje, do total das vendas do Habib’s, 46% têm consumo concentrado fora da loja, vindo do delivery e também do pick-up – quando o consumidor vai até a loja e leva o produto para consumir em casa (há dois anos, esse índice era de 17%). Para agilizar o serviço, a companhia está implantando um sistema de drive-thru duplo: um para atender quem faz o pedido na hora e outro para os que já escolheram pelo aplicativo da rede ou pelo iFood. A mesma lógica será aplicada em balcões separados para quem chega à loja a pé.

De acordo com Alberto Saraiva, fundador da rede Habib’s, é necessário facilitar a vida de quem vem até a loja porque, para o cliente do Habib’s, a taxa do delivery pode ser um inibidor de consumo, pois ela pode representar facilmente 20% do valor total da compra. “Não que a taxa que cobramos seja alta, mas como aqui a pessoa leva dez esfihas por R$ 12, ela fica desproporcional em certos casos.” Hoje, 262 unidades Habib’s e Ragazzo têm drive-thru, que deverão sofrer diferentes tipos de alterações. Já nos próximos meses, a meta é estender o pick-up para 360 unidades.

*Trechos da matéria publicada no “Estadão”.

**Foto: divulgação.