Metrô do Rio terá armários para receber encomendas de e-commerce

O metrô do Rio de Janeiro terá, a partir de novembro deste ano, lockers para recebimento de entregas de comércio eletrônico. Os armários estarão disponíveis em todas as estações das linhas, com exceção de Botafogo, Uruguaiana e Nova América/Del Castilho. Essa é a primeira experiência de lockers em transporte público em todo o Brasil.

A ideia é facilitar a vida de quem faz compras pela internet e tem dificuldade para receber as encomendas, seja por morar em áreas de difícil localização ou consideradas perigosas. A empresa “Clique Retire” será responsável pela logísticas, e, segundo as informações divulgadas, não haverá cobrança de qualquer taxa para quem optar pelo serviço.

Como funciona?

Os armários são terminais de autoatendimento para entregas. Após efetuar a compra pela internet, o cliente seleciona em qual estação quer retirar o produto e receberá um QR Code que abrirá eletronicamente a porta do compartimento para que ele retire seu produto. Os lockers também permitem devolver mercadorias, seja por desistência de compra ou por troca por defeitos.

*Trechos da matéria publicada no “Estadão.”

**Foto: autoria desconhecida.

Rede Giraffas troca 120 lojas de lugar para conseguir voltar a crescer

Há três anos, a rede Giraffas teve de parar para organizar a casa. Ao olhar suas 400 lojas espalhadas pelo País, a empresa percebeu que algo não estava certo: havia muitas unidades com resultado abaixo do esperado. Foi preciso fazer um trabalho de “formiguinha”, segundo o fundador, Carlos Guerra. Só assim seria possível separar os pontos que deveriam permanecer abertos dos que deveriam ser abandonados. De 2016 para cá, a rede só abriu lojas à medida que fechava operações deficitárias.

O aumento no número de lojas deverá ocorrer na esteira de uma série de mudanças. Entre elas, a modificação do cardápio – para dar mais ênfase aos pratos completos e elevar o valor médio pago por cliente para R$ 28 – e a escolha de novos pontos com maior fluxo de pessoas.

O resultado das mudanças deve aparecer na linha da receita em 2019. No ano passado, o Giraffas teve faturamento de R$ 675 milhões. Agora, projeta crescimento acima da inflação – e do resto do setor –, para R$ 740 milhões (um avanço de quase 10%).

Caso se confirme, o resultado será o suficiente para o Giraffas colocar o pé mais fundo no acelerador ao longo do ano que vem. Dependendo do comportamento da economia, a companhia deverá fechar 2020 com um total de 440 a 450 lojas.

*Trechos da matéria publicada no “Estadão”.

**Foto: autoria desconhecida.

76% dos consumidores já compraram por causa de influenciadores, diz estudo

Um estudo produzido pela empresa de marketing de influência Spark em parceria com o Instituto QualiBest, de pesquisas, apontou que 76% dos consumidores já compraram algum produto ou serviço com base na recomendação feita por um influenciador digital. Produzido em agosto, o levantamento foi realizado com 1.100 pessoas de todas as regiões do Brasil. O objetivo era identificar a relação do público com influenciadores digitais.

Entre os itens mais comprados a partir da indicação de um influenciador digital estão os produtos de beleza (52%), seguidos por livros e acessórios de moda (42%). Na sequência, estão alimentos e bebidas (30%) e smartphones (29%). O levantamento apontou também as redes favoritas do público. Instagram e YouTube aparecem empatados em primeiro lugar e o Facebook ficou com o terceiro lugar.

*Trechos da matéria publicada no “Uol”.

**Ilustração: autoria desconhecida.